Saiba quais são os melhores países da Europa para iniciar ou expandir sua empresa.


Procurando um lugar para começar ou expandir sua startup? Estes são alguns dos melhores países da Europa para iniciar um negócio.


O investimento na Europa está em forte crescimento. Existem agora mais de 140.000 startups na Europa, que receberam cerca de € 47 bilhões em investimentos de capital de risco apenas no primeiro semestre de 2021. Isso é mais do que 2020 inteiro.


As estimativas mostram que a Europa atingirá € 95 bilhões em investimentos de capital de risco até o final do ano, uma taxa de crescimento anual de 143% - a mais alta de qualquer grande ecossistema nos últimos cinco anos, superando a América do Norte (98%) e a Ásia (47%).


Os principais beneficiários são o setor Fintech, que arrecadou € 12,3 bilhões até agora em 2021, o SaaS (€ 9,7 bilhões) e a indústria de alimentos (€ 4,9 bilhões).

Com tantos ecossistemas de startups nacionais dinâmicos, a Europa oferece muitas oportunidades para abrir um negócio ou expandir suas operações. Em 2020, o Banco Mundial classificou oito países europeus em sua lista dos 20 primeiros na “classificação de facilidade de fazer negócios”. Estes são alguns dos melhores países da Europa para startups.


Reino Unido

O Reino Unido, uma potência comercial e centro financeiro líder, é a segunda maior economia da Europa, depois da Alemanha. Os serviços, especialmente bancos, seguros e serviços empresariais, são os principais motores do crescimento do PIB britânico.


Apesar do Brexit, em 2020, o Reino Unido manteve sua posição entre os 10 melhores lugares do mundo para se fazer negócios. Como uma nação culturalmente semelhante aos Estados Unidos, com uma das menores alíquotas de impostos corporativos do G20, o Reino Unido torna-se propício a novas empresas.


Além de uma série de universidades líderes mundiais, o Reino Unido possui um ecossistema de startups altamente desenvolvido. O país também possui alguns dos maiores aeroportos do mundo, portos marítimos profundos e conexões ferroviárias para o resto da Europa.


Londres, em particular, é um lugar excepcional para iniciar ou expandir uma startup. O terceiro maior centro de tecnologia do mundo e o centro de startups líder na Europa, Londres tem uma comunidade vibrante e uma alta concentração de capital e talento internacional. Não faltam aceleradores e eventos de tecnologia, ou suporte governamental, tornando-o um dos ecossistemas de inicialização de crescimento mais rápido do mundo.


Fazer parte dessa atmosfera vibrante tem um preço, no entanto. Em Londres, o salário médio de um engenheiro de software é pouco abaixo de US $ 6.250, tornando-o um dos lugares mais caros do mundo para formar uma equipe de tecnologia.


A desvantagem: o Brexit aumentou esses benefícios em muitos aspectos. Será um pouco mais difícil obter talentos com o fim da livre circulação da UE, pelo menos a curto prazo. E o Reino Unido continua sendo um dos lugares mais caros do mundo para contratar um desenvolvedor de software e montar uma equipe de tecnologia.


Alemanha

Todos os anos, mais de 2 milhões de novos negócios são registrados na Alemanha, em uma variedade de campos. As empresas do setor de tecnologia da informação e comunicação representam a maior parcela do setor de startups com pouco menos de 32%, seguidas por bens de consumo (11%), produtos médicos e de saúde (9%) e a indústria de logística e automotiva com 6%.


Berlim, em particular, é o lar de uma das grandes histórias de sucesso da economia alemã por sua capacidade de explorar essa comunidade globalizada de inovadores nômades. A capital do país se tornou um paraíso para empresas de software inovadoras, web designers e profissionais de marketing, ultrapassando Paris como o segundo maior centro de startups da Europa. Empresas como Zalando, SoundCloud, Freighthub e Penta são representantes do sucesso alemão neste campo.


Mas Berlim não está sozinha em abraçar a mudança. A economia de alta tecnologia de Munique adotou a IA e novas técnicas de manufatura, enquanto Frankfurt atrai um grande número de empresários financeiros.


Ao mesmo tempo, ficou mais fácil abrir uma empresa alemã. O governo simplificou a burocracia, mudou as leis trabalhistas para acomodar o trabalho flexível e introduziu subsídios para jovens proprietários de startups.


A desvantagem: apesar dos esforços do governo, a Alemanha ainda está listada em 125º lugar no ranking do Banco Mundial para iniciar um negócio, e os salários de tecnologia estão entre os mais altos do velho continente, não muito longe dos do Reino Unido. Aprender o idioma e se adaptar à cultura local também é vital ao planejar como abrir uma empresa na Alemanha como estrangeiro.



Dinamarca


A Dinamarca é considerada o melhor país do mundo para fazer investimentos empresariais para investidores não europeus, com regulamentações simples e uma posição ideal no coração da Europa.


Esta economia de mercado moderna é o lar de algumas das empresas líderes mundiais em produtos farmacêuticos, transporte marítimo, energia renovável e agricultura de alta tecnologia.


Além de ser fácil de entrar para investidores estrangeiros, a Dinamarca oferece muitos profissionais multiculturais, a maioria dos quais fala inglês. Como resultado da pressão do governo por leis trabalhistas mais flexíveis, a regulamentação está agora mais em sintonia com as demandas das empresas e dos trabalhadores modernos.


A desvantagem: o envelhecimento da população da Dinamarca e o alto custo de vida podem desanimar alguns fundadores. Copenhague, a capital da Dinamarca, não tem crescido tanto quanto alguns dos outros ecossistemas de startups que estavam próximos em números de startups e atividades de financiamento.


Estônia


EU-Startups.com classificou a Estônia entre os três melhores países europeus para iniciar uma startup. Em termos de atividade empreendedora e competitividade dos funcionários, a Estônia ocupa o primeiro lugar na Europa e o terceiro em número de startups per capita.

A Estônia também possui uma estrutura tributária corporativa muito flexível e nenhum imposto de renda corporativo sobre lucros, juros ou dividendos. Isso significa que o sistema tributário é adequado para empresas que planejam um rápido crescimento internacional: os fundadores podem gastar os fundos que, de outra forma, pagariam como impostos sobre a inovação.


Além de um programa tributário amigável, a principal reivindicação da Estônia à fama no ecossistema europeu é seu programa de residência eletrônica, o primeiro desse tipo no mundo. Ele permite que os empreendedores digitais criem e gerencie online uma empresa com sede na UE.


A desvantagem: por ser um país pequeno, a Estônia dificilmente é adequada para empreendimentos ou negócios com mão-de-obra.



Ibéria (Portugal e Espanha)


As startups ibéricas arrecadaram mais nos primeiros seis meses de 2021 do que em qualquer outro período do ano. A Ibéria conta agora com 10 unicórnios, sendo que 5 deles são originários de Portugal.


Portugal está acima da média da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ) em habitação, equilíbrio entre vida pessoal e profissional, segurança pessoal e qualidade do ar, o que atrai naturalmente talentos. As grandes cidades do Porto e Lisboa têm uma população próspera de estudantes e expatriados que se revelaram grandes fontes de talento. O país também está bem conectado ao resto da Europa, com uma variedade de portos e aeroportos importantes. Lisboa é agora o lar de uma variedade de espaços de inicialização. Outro ponto relevante é que o governo português disponibiliza incentivos por 2 anos e parte não reembolsável para empresas iniciarem sua expansão global por Portugal.


A Espanha há muito serve como um ímã para investidores estrangeiros que buscam abrir uma empresa. Uma das principais razões para isso é que o governo espanhol apoia ativamente as oportunidades de investimento estrangeiro com vários esquemas como o Spain Golden Visa.


Mas há outra razão para o ecossistema da Península Ibérica estar fazendo ondas, e não apenas nas praias ensolaradas onde os fundadores podem relaxar. Olhando para a distribuição total de negócios levantados pelas equipes fundadoras desde 2016, países do Sul da Europa, como Portugal e Espanha, apresentam melhor desempenho em termos de diversidade de gênero em comparação com outros países do Norte da Europa, como Dinamarca e Holanda.


Por que escolher a Iberia para iniciar ou expandir uma startup: alto padrão de vida a um preço acessível, uma população amigável e inclusiva, apoio governamental para startups e um grande pool de talentos qualificados que falam inglês.


A União Europeia é a segunda maior economia do mundo e o maior bloco comercial do mundo. Abrir uma empresa na Europa automaticamente dá às startups acesso a um dos maiores centros de negócios do mundo com uma infraestrutura sofisticada, fortes proteções legais e uma força de trabalho qualificada. A Europa continua a ser uma das opções mais atraentes para investimento internacional e formação de empresas.


Se você está pensando em expandir suas operações para a Europa, podemos ajudá-lo em todo o processo. Faça uma ligação hoje.


Clique no botão abaixo para receber uma análise prévia gratuitamente.


Estamos disponíveis por meio do e-mail: contato@myeurobusiness.com.br ou no nosso perfil do Instagram.

Gostou do conteúdo? Não se esqueça de clicar no 🖤 pois é muito importante para nós!

Fale agora pelo QRcode


39 visualizações